A estrada é longa e você não é capaz de ver o seu final. Você caminha, caminha e caminha, sem garantias ou certezas. Apenas caminha por necessidade de caminhar. 
Há obstáculos. Lógico que há obstáculos. Se a Dorothy e os seus amigos encontraram para ir para a Cidade Das Esmeraldas, por que nós mortais não encontraríamos? Pois bem.
Obstáculos ou não, aguentamos o que temos que aguentar. Sem reclamar. Cabeça erguida. Feitos de titânio. A prova de balas. Doa o que tiver que doer. Pois bem, faz parte. 
Mas algo acontece. E como acontece. Você não queria, mas não há como impedir. Você se faz de forte. Fecha os olhos e se prepara para o impacto. Ele vem. E bate sem dó nem piedade. 
Você se segura no que dá. Tenta não cair. Ninguém quer cair. Ninguém gosta de cair. Principalmente você, durão e orgulhoso. Sempre sendo aquele que governa com mãos de aço a situação. E o impacto vem e te deixa de joelhos.
De joelhos.
Você cai e se machuca. Você espera nunca passar por isso de novo. Isso se um dia você se levantar. Mas você vai. Você é aprova de balas.
Aprova de balas.
Você está frágil. Dolorido. Machucado. Precisa de cuidados. Mas você parece estar sozinho nessa. 
Quando caímos estamos sozinhos.
Não importa. Você é um arranha-céu. Você vai se reerguer. 



Beijos 
S.S Sarfati

Deixe um comentário