-Te procurei lá dentro, achei que tivesse ido embora - disse Cory sentando-se ao lado de Maxine no gramado em frente a casa - Aqui está sua cerveja - disse o rapaz entregando uma garrafa à ela.
-Obrigada e eu não iria sumir assim de repente. Fizemos um combinado, não fizemos? Eu só achei que lá dentro estava muito cheio.
-Você não precisa se justificar querida, estava apenas puxando conversa contigo. Aliás, como é seu nome?
-Maxine.
-Eu sou Cory.
-Eu sei quem você é.
-Sabe? Como?
-Você é um dos donos da festa, me contaram.
-Por que você não gosta de festas?
-Não é que eu não goste, só acho que às vezes são meio desnecessárias.
-Desnecessárias?
-É, qual é a graça de fazer uma festa quinta à noite por exemplo?
-Fazer uma festa quinta à noite.
-Nossa, você está estudando Direito? Seus argumentos são realmente muito convincentes.
-Você é engraçada, só não sabe disso ainda.
-Eu sou engraçada?
-Divertida, essas coisas.
-Sério?
-Você só não mostra esse seu lado por que tem medo que as pessoas cheguem muito perto de você. Qual o problema em que as pessoas vão se meter se chegarem muito perto de você, hein? - disse Cory tocando com delicadeza a parte nua do braço de Maxine - Queria que ver se levaria um choque.
-Eu posso ter um olho azul e outro verde, mas não sou esse tipo de mutante.
-Heterocromia?
-Aham.
-Então Max, por que você não quer que ninguém se aproxime de você? É por medo delas se apaixonarem pela diferença dos seus olhos?
- Bem, eu não gosto que ninguém se aproxime de mim. Sempre acho que vou sair frustrada ou iriei frustrar alguém.
-Bem Max, você parece-me um pouco ingênua então deixe-me lhe dizer algo que aprendi com a maturidade e...
-Dá um tempo, você não tem nem vinte anos.
-E você tem quanto? Quinze?
-Dezessete.
-Quase uma idosa.
-Continue.
-Você não tem o poder de controlar sua vida em vários aspectos e esse é um deles. Você pode se aproximar de mim e um de nós vai sair frustrado ou nenhum de nós vai sair frustrado e vai ser tudo ótimo. Não há como prever o que vai acontecer quando duas pessoas se aproximam Max, é uma conexão perigosa. Você pode passar a vida inteira fugindo do que pode dar errado e por conta disso vai acabar sempre evitando que as coisas deem certo. Não corra das pessoas Max, tenho certeza que você tem várias coisas para mostrar à elas. Você sabe o que acontece quando duas estrelas se chocam?
-Não faço ideia.
-Sem muitos detalhes pode-se dizer que elas se misturam. É isso que acontece conosco também: quando deixamos alguém se aproximar, embora corremos o risco de sairmos frustrados no final, nós nunca saímos do mesmo jeito que entramos. Sempre há uma troca Maxine. Você só precisa saber quem são as pessoas que valem a pena você trocar. 
-Tem certeza que isso nunca esteve escrito em nenhum livro? Parece muito ensaiado para ser real. 
-Eu nunca iria ensaiar algo para dizer à alguém que veio pedir para eu abaixar a música da minha festa. Pareci malvado falando isso, não pareci?
-Fiquei morrendo de medo.
-É para caso algum vizinho chato venha encrencar comigo por conta da bagunça.
-Alguém como eu?
-Eu disse vizinho chato, não você.
-Quer saber? Foi ótimo conversar com você Cory.
-Não diga que já vai.
-Meu avô vai perceber que eu não estou em casa e vai ficar preocupado. Foi muito legal conversar com você e essa cerveja é uma delícia, mas eu tenho que ir.
-Eu poderia insistir para você ficar, mas sei que seria inútil.
-Obrigada. E não precisa abaixar a música, não por mim.
-Olha, se um dia você quiser mais cerveja ou mais conversa, é só bater aqui tá?
-E procurar por você?
-Pode ser um dos outros, mas tenho certeza que eu sou o mais charmoso.
-E o mais humilde também.
-E o com melhor papo, não se esqueça.
-Boa noite Cory.
-Boa noite Maxine.

Deixe um comentário