Estive te procurando o dia todo - perguntou Cory pulando o muro do quintal da casa de Max e encontrando-a na beira da piscina – Posso sentar?
-Claro.
-Sente-se melhor?
-Um pouco.
-Como a vida é agora para você?
-Como assim? Em relação às mudanças? As informações que me deram sem que eu nunca tenha pedido?
-Em relação a tudo.
-É estranho, eu devo admitir. Escutar que minha mãe está viva, escutar que minha mãe está morta. Meu pai estar de volta, mas não sei até quando. Escutar também que há várias mulheres como eu e minha mãe. Saber que ela teve ou tinha, não sei, uma melhor amiga. Você acha que eu deveria conhecê-la?
-Sem dúvida alguma.
-É que é tão estranho! Mal conheço a Jay e não sei até que ponto devo ir fundo nessa coisa toda?
-Então você não acredita nela? 
-Não é isso. Só que ela é a pessoa mais improvável do mundo para me revelar algo assim. Ela é sua ex-namorada, nada mais que isso. Nada que tivesse haver com a minha mãe de preferência.
-Tudo tem seu tempo Maxine. Há um motivo para você estar descobrindo tudo isso agora.
-Será que isso é um castigo?
-Castigo pelo que?
-Não sei. Talvez algo que eu venha fazer um dia.
-Nem tudo é um castigo.
-Aguentar sua ex e a mãe dela sabendo mais sobre minha mãe do que eu, que sou filha dela, é sim.
-Eu nunca diria que você é tão ciumenta Maxine. Será que devo temer pela vida da Jay?
-Por que você se importa?
-Ai! Você é ácida garota.
-Ah eu sou?
-Sim você é. E eu adoro tudo o que é ácido - ele colocou a mão na lateral da sua nuca e a puxou para mais perto a fim de poder beijá-la - Eu acho que você está um pouco tensa demais - disse ele ainda sem soltá-la.
-O que é natural, não acha?
-Você deveria relaxar um pouco.
-Como?
-Assim - disse ele empurrando-a para dentro da piscina, de roupa e tudo.
-VOCÊ É MALUCO! POR QUE VOCÊ FEZ ISSO?!
-Achei que seria bom você descontrair um pouco.
-Mas a água está gelada! Eu vou ficar resfriada!
-Eu esquento a água para você – disse ele pulando na piscina.
-Você me molhou!
-Você já não estava molhada? 
-Sua vez de ficar molhado! - eles começaram uma pequena guerrinha dentro da piscina porém que  acabou espalhando água por toda a sua volta porém que acabou em um lento beijo dentro da água.
-O que está acontecendo aqui Maxine? - disse o pai dela aparecendo na porta do quintal - Oh, você está acompanhada.
-Sim, eu estou.
-Não vai me apresentar ao seu amigo?
-Pai, esse é o Cory. Cory, esse é meu pai.
-Boa noite senhor.
-Boa noite.
-Eu iria ai dar um aperto de mão, mas acho que não seria apropriado.
-Ótimo, também acho. Que tipo de rapaz é você?
-Pai! 
-Não, está tudo bem. Na verdade eu moro aqui do lado, somos vizinhas.
-Então você é um universitário?
-Exatamente senhor.
-Eu vou entrar. Não fiquem ai até muito tarde. Prazer em conhece-lo Cory.
-O prazer é todo meu.
-Eu não sabia que ele estava em casa.
-Eu acho que seu pai não gostou muito de mim.
-Eu também acho.
- Não fique assim preocupada, ele vai acabar se acostumando. 
-Eu não estou preocupada.
-Ótimo.
-Eu nunca tinha nadado dentro da piscina de noite.
-Sério? Você nunca foi a muitas festas então.
-Não esse tipo de festas. Eu sou do tipo que fica em casa com amigos virtuais, lembra?
-Ah sim, você é conservadora.
-Prefiro "gosto de ficar sozinha"
-Como eu fui acabar me apaixonando por alguém como você? 
-Você se apaixonou por mim?
-Estranho seria se eu não me apaixonasse por você. 
-Nunca pensei que eu fosse do tipo "apaixonável".
-Todos nós somos "apaixonáveis". É só uma questão de tempo até que a primeira pessoa certa se apaixone por nós. Sabe quem seria essa pessoa? Nós mesmos. Nós passamos a ser pessoas "apaixonáveis" a partir do momento em que conseguimos e que nos sentimos capazes de nos apaixonarmos por nós mesmos. É uma reação em cadeia. Nos apaixonamos por nós mesmos e todo o resto acontece. 
-Você acha que eu finalmente aprendi a me amar o suficiente?
-O suficiente? Não. Mas se você se ama? Sim. Deixa a parte "amar o suficiente" comigo. 
-Você é metido e um pouco arrogante e prepotente. Como fui me apaixonar por você?
- Sabe como é, eu tenho uma boquinha fofa.
-Boquinha fofa?
-Minha mãe sempre disse isso.
-Sua mãe?
-Exato. Vamos lá, você não resiste ao meu sorriso torto.
-E você não resiste aos meus olhos heterocromados. 
-Essa palavra existe?
-Qual? Heterocromados? Provavelmente não.
-Além de ser bonita, gostar de se isolar, um dos seus hobbies é inventar palavras?
-Neologismo puro.
-Sabe o que eu acho Maxine? Grandes coisas ainda estão por vir.
-Que tipo de coisas? 

-Do tipo que vai surpreender. 

Deixe um comentário