-Eu gosto do Barry.
-E eu deveria sentir ciúmes disso? 
-Mas é claro que não. Eu gosto ainda mais de você.
-Mas é claro que gosta - disse Cory envolvendo a cintura da loira e beijando-a enquanto ela envolvia o seu pescoço com as mãos.
-Sabe o que eu sempre quis fazer? 
-Não faço ideia. 
-Pular rochas.
-Tipo pular rochas na praia?
-Tipo pular rochas na praia.
-Tipo essas rochas aqui? - disse Cory caminhando em direção a algumas rochas que haviam ali perto.
-Tipo essas rochas ai.
-Então venha cá. Vamos pular juntos. Vem, eu te ajudo a levantar - disse ele estendendo a mão para ela - pronto. Agora é só colocar um pé na rocha em que você quer ir e tirar o pé da rocha em que você está.
-Mas e se eu cair?
-Max, você não vai cair. Você não é boba. É só pular, você vê? - disse ele enquanto pulava de uma rocha para outra - É muito simples.
-Parece que você faz isso a vida inteira.
-É meu talento natural Maxine. Você não vem? 
-Gosto de te observar fazendo isso.
-É tão simples que você deveria tentar. Você não vai cair ou se machucar. Se preferir, pode começar nas rochas mais perto e mais baixas.
-Que nem essa do meu lado?
-Que nem essa do seu lado.
-Então já! - disse ela pulando - Eu pulei!
-Você pulou!
-Tire uma foto.
-Uma o que?
-Uma foto! Eu sei que você está com o celular ai.
-Ok então. Agora abra os braços e faça uma pose de vencedora. Está ótimo. Linda como sempre.
-Vou pular mais uma, tá?
-Tá ótimo - E Max pulou mais uma, e depois mais uma, e depois mais uma outra até que em meio a sorrisos de vitória, a menina solta um grito agudo e cai - Max, Max, Max - disse Cory correndo em sua direção - Você se desequilibrou, é isso?
-Não. Não exatamente. Meus pés, meus pés. Eles estão queimando - E Cory moveu o olhar em direção a eles.
-Eles estão brancos.
-Eles estão o que?!
-Brancos. E não são só os pés. 

***
-Eu a trouxe o mais rápido que consegui - disse Cory entrando correndo com Maxine nos braços e despejando-a em cima do sofá.
-Por que raios você me trouxe para ele?!
-Se tem alguém que pode nos ajudar, esse alguém é ele. 
-Não passou pela sua cabeça me levar a um hospital?!
-Eles podem te colocar em quarentena e usarem você como pesquisa você querendo ou não. O Barry vai te perguntar pelo menos. 
-Eu deveria estar agradecida?
-Talvez?
-Me deixa ver seu pescoço - disse Barry afastando os cabelos da moça - Está branco também. Cory, ache a Jay e traga-a aqui. É onde passamos mel. 
-Mas o que ela vai poder fazer?
-Traga-a aqui agora!
-Está queimando Barry, está queimando!
-Calma.
-Onde você vai?
-Vou na cozinha pegar uma coisa. Aguente firme.
-O que é isso?
-Pasta gelada. Geralmente alivia queimaduras tradicionais e embora isso não seja uma queimadura ou qualquer outra coisa tradicional, a pasta gelada deve aliviar.
-O que você acha que é isso?
-Não faço a menor ideia. Nunca vi nada assim, nem nos livros. Avise-me se doer.
-Não deve ficar pior. AAAAAAAAARGH! O que você fez?!
-Eu só coloquei a pasta no seu pé.
-Isso não deveria me ajudar?!
-Mel não deveria reagir com a pele e formar uma espécie de casca branca.
-Cory me disse que era urgente, o que houve? - perguntou Jay – Uau!
-Adoraria dizer que é bom tiver, mas não é. 
-O que vocês fizeram com ela?!
-Você disse que mel ajudaria a irritação dela, então passamos mel em todos os lugares que têm irritações.
-Com que propósito Barry? Estudá-la como se ela fosse um pequeno camundongo no seu laboratório da vida real?!
-Chega! Jay, você sabe como fazer isso parar? 
-Sei.
-Então faça!
-Eu preciso de sal.
-Sal? 
-É, sal.
-Isso daqui está cada vez mais parecendo um programa de culinária.
-Aqui está o sal - disse Barry voltando da cozinha com um pacote de sal na mão - E agora? 
-Eu preciso que vocês segurem ela.
-Me segurarem? Por que?
-Max, desculpa, mas isso vai doer. 
-Jay, o que você vai fazer com esse sal? - e essas foram as últimas palavras antes de Max desmaiar no sofá.

Deixe um comentário