Não faz muitos dias que Lea Michele lançou o seu mais novo single "On My Way". Foi algo extremamente aguardado pelos fãs, o que não poderia ser diferente devido ao sucesso de "Cannonball". Porém ao contrário de "Cannonball" que tratava de reunir a força interior e seguir lutando e que ela ainda não havia se despedido totalmente das notas altas e interpretações dramáticas , "On My Way" é exatamente o oposto: é uma música pop que poderia ser cantada por uma Kesha ou Katy Perry sem a menor dificuldade e basicamente diz que ela está no caminho para você. 


Não pense que virei uma grande fã dela como artista ou como pessoa após o primeiro single. Embora tenha interpretações dramáticas, é vazio e não acrescenta nada. Só mais uma música chiclete. O clipe é fraco, meio nada com nada, enquanto o clipe de "On My Way" é todo elaborado e bem dirigido, porém nada diferente da fórmula mágica dos produtores da música para transformarem meninas em cantoras pop. Se você for atento, verá grande semelhança com "Teenage Dream" da Katy Perry. Ambos usam quartos de hotéis de estrada, uma estrada, carros sem tento e mãos ao alto, como disse antes, nada demais. 
Ela está linda no clipe, porém qualquer uma no lugar dela estaria linda rebolando em frente a uma porta rosa com uma roupa curta enquanto tenta sensualizar com o cabelo, apenas tenta. O ponto forte dela não é exatamente o "sex appel" e no Glee, enquanto Rachel, foi abordado isso. Ficou forçado, parece que ela fez tudo isso por que é isso o que fazem as artistas pop. É natural o desejo dela de se afastar da Rachel e um pouco da sua carreira de atriz da Broadway, porém é preciso que isso seja de maneira natural e real. Esse é o único jeito de conseguir conquistar uma identidade musical. Não é como se fosse uma música da Lorde que é nítido a quem pertence. 

Preciso elogiar toda a equipe que está por trás dela: eles estão sendo todos fantásticos. Não poderia ter sido mais inteligente lançar uma música sobre reunir forças ainda quando a morte do Cory Monteith era algo mais recente para que depois fosse lançado a música chiclete. Engraçado que há anos vem sendo comentado que ela estava para lançar um cd e de repente, pouco tempo depois da morte que abalou os fãs, ela aparece com um disco pronto e bancando a heroína falando nisso a todo instante. Sou a favor dela começar a caminhar pelas próprias pernas e parar de se apoiar na morte do Cory, está na hora dela parar de comercializar a morte do Cory. 


Não levem-me a mal, eu gosto de músicas pop.


Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário