E um belo dia, anos atrás eu nasci. Não apenas nasci, como estou por aqui até hoje. Têm dias difíceis, sempre existem dias difíceis, em que repenso essa minha antiga decisão de nascer. Aquela que talvez tenha sido a primeira decisão que tomei ou nem tanto. Talvez eu apenas tenha nascido.
Cresci e tornei a pessoa que vocês leem. Antes liam mais, mas meio que me afastei de vocês. Não me orgulho nem um pouco disso, não há um dia sequer que eu não me arrependa de não estar mais tão presente quanto antes, mas não é como se eu pudesse realmente evitar isso. Eu tenho ser a melhor pessoa que consigo, mas não é sempre que dá. 
Tenho tido uns pensamentos confusos, tenho sido confusa. Andei me perdendo tentando me achar. Chorei algumas lágrimas buscando alguns sorrisos. Já estive pior do que isso antes, não nego, mas cada vez que você se desvia é de um jeito. Não é algo que dê para se acostumar ou montar um guia-padrão. Outra coisa é que as circunstâncias desse ano é diferente da circunstância do ano passado e nunca as circunstâncias serão iguais e eu odeio dizer isso, mas as circunstancias mudam tudo.
Acho que o maior passo para uma recuperação é entender que não está tudo bem e principalmente entender que está tudo bem não estar bem. É tudo bem sentir medo, que é tudo bem sentir-se sozinho ao tentar enfrentar esse medo. Está tudo bem ser quem você é e está ainda mais 'tudo bem' entender quem você deve e quer ser. 
Talvez você não esteja no lugar certo na hora certa, mas e daí? Não deve ser isso que vá te impedir de fazer o que você veio para esse mundo fazer. Você também nasceu ou fui só eu? Encontre o que você veio para cá fazer e faça sem medo, faça sem motivo. É muito mais fácil lutar quando se tem um objetivo.  A vida não para até você ficar bem, ela continua girando. E quanto pior você está, mais rápido ela gira. Então não demore até fazer o que você tem que fazer, você não vai estar aqui para sempre. Eu vim para cá para escrever então é isso o que eu faço mesmo quando não digito uma única letra, tanto por que escrever é algo que está muito mais no plano das ideias do que no escrever em si. Se sua mente está organizada, 90% do trabalho está concluído com (muito) sucesso.
Eu costumo perder o controle sob meu pensamentos e acho que acabo de perder o controle por esse texto que agora escrevo. Acontece e já estou quase que por acostumada totalmente. Confesso que também perco certo controle com a minha vida e estou longe de estar acostumada com isso. Ainda não aprendi a lidar com as interferências mais do que constantes das 'circunstancias', 'acaso' ou como queira você chamar, mas estou realmente tentando.
No fundo, decidi escrever esse texto com um único e egoísta objetivo: apenas para dizer que estou apavorada. Estou apavorada com tantas coisas que fico apavorada em pensar em quantas exatamente, fico achando que vai ser uma lista tão grande que vou perceber que tenho medo de tudo. Logo eu que sempre me achei tão valente, tudo ilusão, mas embora eu tivesse que listar o que deve ser meu maior medo eu diria que é de mim mesma. Acho que sou minha principal inimiga, minha principal heroína, minha melhor amiga e minha pior inimiga. 
Talvez eu devesse aprender a lidar comigo antes de tentar lidar com o resto do mundo. 

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário