Se você olhar a galeria de fotos do meu celular, além das fotos pseudo-fotográficas, irá encontrar uma porção de fotos com amigos. Não são as fotos mais bonitas ou com as pessoas que você imagina que anda com uma garota como eu (isso vai de que tipo de garota você acha que eu sou), mas são as fotos que eu tenho com os amigos que eu tenho.
Não consigo não me reunir com um monte de gente que me sinto a vontade e não pensar em fotografar o momento. Quase nunca consigo tal proeza, é difícil convencer os amigos que eu tenho a tirarem fotos. Não os culpo: numa sociedade onde fotografia é feita para medir a beleza e não os momentos, entendo por que ninguém quer sair feio nas fotos em grupo. Nem eu.
Eu adoro aquele momento de bagunça com um monte de pessoas diferentes que, em outo contexto, talvez nunca viessem a descobrir que tinham tanto em comum mesmo que disfarçado por uma aparente diferença. Aquelas risadas compartilhas, aquele momento simples em que nada é feito, mas que marca uma parte de nossas vidas.
Eu me sinto vazia quando não tenho momentos como este para poder relembrar antes de dormir. Para mim nunca importou muito se eu arrasei ou não na balada, mas se eu tive alguma história para contar e eu tenho certeza de que quando estou com as pessoas certas, histórias não vão acabar.
Talvez as pessoas tenham se esquecido de como é curtir as coisas simples, seja devido a modernidade ou por que as possibilidades financeiras nunca foram tão grandes, mas se tem algo que eu aprendi depois de começar a sair como "gente grande" é que nenhum lugar é diversão certa se você não estiver com as pessoas certas. Diversão é relativo, depende de com quem você está. 

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário