Claro que como não vivo em Marte eu já havia ouvido falar da franquia "Velozes e Furiosos", mas como nunca gostei muito de filmes de ação ou de carros, nunca vi muito sentido em assistir uma séries de filmes sobre carros velozes e furiosos. Todavia, não consegui não ficar nem um pouco abalada quando em Novembro de 2013 saiu a notícia de que o Paul Walker havia morrido. Eu não sabia quem era o cara antes dele morrer, isso é fato, mas alguém que é um dos protagonistas de uma série de filmes sobre carros furiosos morrer em um acidente de carro não deixa de ser irônico e bastante doloroso. Depois de uma rápida pesquisa sobre a vida dele descobri que ele era um verdadeiro mocinho e como a morte de todo mocinho fica um gosto amargo de que as coisas deveriam ter sido diferentes. Quando o "Velozes e Furiosos 7" foi anunciado e, ainda por cima, como o último filme do Paul Walker por motivos bastante óbvios eu decidi que assistiria, afinal, assim como o "Quarterback" foi a despedida do Cory Monteith de Glee (que inclusive morreu poucos meses antes do Paul) imaginei que este filme seria a despedida do Paul da franquia milionária e eu acho que despedidas são sempre dignas de serem assistidas. Outro motivo que me levou a assistir ao filme foi o fato bastante ressaltado de terem "ressuscitado" o Paul para o filme uma vez que ele morreu durante as filmagens.


Sendo a necessidade a mãe da inovação, a morte que a primeira vista parecia ter sido o início de uma catástrofe (alguns fãs mais céticos chegaram a dizer que o sétimo filme nunca iria ser lançado), tornou-se o motivo para uma das maiores inovações do cinema: pela primeira vez uma técnica antes apenas utilizada para dublês em cenas perigosas foi utilizada para rodar várias outras cenas. A técnica consiste em colocar o rosto do ator no corpo do dublê e em "Velozes e Furiosos 7" colocaram o rosto do Paul Walker no corpo dos seus irmãos mais novos (mesma estatura física), claro que não foi só isso: cenas que haviam sido cortadas dos filmes anteriores e cenas onde não era possível ver o rosto dele também foram gravadas. Este filme é uma verdadeira inovação para a sétima arte e é digna de ser assistida nas telonas. Além disso, a homenagem feita no final do filme é maravilhosa, mas não é para corações fracos.





Beijos
S.S Sarfati

2 COMENTÁRIOS ❤

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Verdade, não é um filme para quem tem coração fraco, eu confesso que meus olhos suaram muito, kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Adorei o filme e arrisco a dizer que é um dos melhores da saga Velozes e Furiosos...

    ResponderExcluir