Estamos praticamente em Setembro então se você está no 2° ano do Ensino Médio e pretende fazer viagem de formatura, já está mais do que na hora de começar a ver os detalhes como: para onde vai ser, com qual agência vai ser, forma de pagamento e tudo mais. Claro que talvez você seja como eu e nunca tenha se importado com viagem de formatura, mas talvez uma viagem de formatura caia no seu colo e há algumas coisas que você precisa levar em conta. 
Como eu disse anteriormente, talvez uma viagem de formatura caia no seu colo e foi exatamente isso que aconteceu comigo. Em Junho de 2013 eu estava na metade do meu 2° ano quando começaram os primeiros burburinhos a respeito da reunião da viagem de formatura. Desde o começo do ano já havia sido decidido para onde seria a viagem de formatura: Porto Seguro. Eu nunca me interessei por Porto Seguro ou viagem de formatura, então ignorei tudo aquilo. No entanto, eu comentei com uma amiga que havia feiro sua viagem de formatura alguns anos antes (2009) e quando ela me contou sobre a viagem dela de Porto Seguro pareceu muito diferente da ideia que eu fazia sobre ir à Porto Seguro em uma viagem de formatura então eu fui a tal reunião da Forma. Eu odiei aquilo. Sério. Parecia ser um lugar horroroso, muita bagunça, muita louca. Eu simplesmente quis sair no meio da reunião. Ainda bem que não sai porque logo em seguida fui apresentada a Cancún. Pareceu muito legal, muito bonito, mas ainda sim muita bagunça e de qualquer forma eu não tinha companhia para ir, então deixei a breve ideia de viagem de formatura de lado por um pouco mais de um ano, mais ou menos em Agosto de 2014. Até que minha melhor amiga falou que a viagem de formatura dela seria para Cancún.
Então ela me mostrou o folheto, o que eles haviam falado e tudo aquilo pareceu tão legal e mágico que parecia outra Cancún. E dessa vez eu teria companhia! Então eu praticamente implorei para minha mãe falar com a Cia do Lazer (a agência de viagens responsável pela viagem de formatura da minha amiga) e ver se dava para eu ir. E deu! O pessoal da agência foi muito bacana (especialmente o Daniel - quem atendeu e vendeu o pacote para minha mãe) e fez o meu pacote ser igualzinho o da minha amiga. Lá em Fevereiro deste ano eu fiquei um pouco na dúvida se deveria ir, se eu iria gostar, se não era festa demais para mim, mas pensei melhor e decidi continuar indo. 
O curioso de comprar uma viagem para Julho de 2015 em Agosto de 2014 é que você praticamente esquece que você comprou uma viagem. Lógico que eu sabia que iria para Cancún em Julho de 2015, mas não parecia ser real, como se eu realmente fosse para Cancún.


Minhas conclusões sobre a viagem à Cancún: eu teria me arrependido amargamente se não tivesse feito. Além de ser maravilhoso (é algo próximo do paraíso. Se não acredita é só clicar aqui), é um lugar fantástico para qualquer tipo de público. Eu vi muitos idosos, deficientes, casais em lua de mel, família, jovens, sério, tem de tudo. Achar que seu perfil não se encaixa em Cancún é impossível. Acho que esse é um dos principais pontos para decidir sobre o destino de qualquer viagem, especialmente se é de formatura.
Uma coisa que eu escutei muito sobre viagem de formatura antes de ir é que acontece muito sexo e eu não vou mentir, acontece sim, mas só se você procurar. Não é algo que seja obrigatório. Você faz exatamente e somente o que você está com vontade de fazer. O mesmo é válido para o álcool. Não é algo essencial para viagem e se você não fizer/beber você será excluído da viagem, vai muito de quem você é e da sua galera. As meninas com quem eu fui eram muito festeiras enquanto eu sou mais tranquila e deu tudo certo porque cada uma respeitava o jeito da outra. Quando saíamos para festas cada uma saía com a sua chave para não haver problemas (isso até elas perderem as delas dentro do  quarto e eu ser a única que sabia onde a minha estava). O que muito acontece é o aluno se sentir pressionado, mas é aquele velho conselho: seja você mesmo e não vá pela cabeça dos outros. É batido, mas faz muito sentido nessas horas. 
Foi a melhor viagem da minha vida. Foram nove dias (sete no México e dois em trânsito) extremamente intensos e de extremo auto conhecimento. Eu definitivamente incentivo qualquer um que tenha condições à ir viajar na formatura. É interessante estar no meio de várias pessoas que ao mesmo tempo tem a mesma idade que você, mas é tão diferente. Cada um vem de uma cidade e de uma escola e isso é capaz de muita coisa no ser humano. Uma coisa que eu gostei muito foi das vezes que eu voltava mais cedo da balada (tinha ônibus da agência para voltar às 1h, 2h, 3h e quase sempre às 4h) eu tomava um banho loooongo, de porta aberta, com a televisão ligada (na maioria das vezes assistindo "La Lei e La Ordem" enquanto esperava o lanche de frango que eu havia pedido no quarto chegar. Sério, poucos sentimentos se comparam a esse <3

Starbucks (wifi) nossa de cada dia

Alguns detalhes:
Até o aeroporto (moro no interior): Saí de Taubaté às 16h e cheguei no aeroporto pouco antes das 18h. O horário de chegada era às 19h.
No avião (ida): Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU) até Aeropuerto Internacional de la Ciudad de Mexio (AICM) - 9 horas
Aeropuerto Internacional de la Ciudad de Mexio (AICM) até Cancun Internacional Airport (CUN) - cerca de 2 horas. 
Horário: Sai do GRU por volta das 23h e cheguei no AICM por volta das 7h (9h horário de Brasília) depois de 6 horas de espera e atraso, peguei o avião às 13h (15h horário de Brasília) e cheguei por volta das 15h (17h horário de Brasília)
Fuso horário: em Julho, 2 horas a menos do que Brasília.
Hotel: Great Parnassus Resort and Spa
Agência: Cia do Lazer
Comida: muito apimentada.
Temperatura: cerca de uns 30°C
Sensação Térmica: quente como o inferno (mais de 40°C)
Mexicanos: eles são na sua grande maioria bem grosseiros, especialmente na Cidade do México. Como TUDO em Cancún é voltado para o turismo, os locais são bem mais legais, mas os locais da Cidade do México não me deixaram saudades.
Comércio: as coisas são mais baratas que no Brasil, mas nem por isso super baratas. Claro que para um consumista isso não faz diferença, mas é preciso ter cuidado. Para comprar artesanatos locais, o Chichen Itza é a melhor opção. Eles são negociantes e se você falar que é brasileiro eles tendem a te tratar melhor, se for mulher melhor ainda (sei que é machismo, mas é a realidade que vi lá). Eu consegui pagar $20 em uma caveira mexicana artesanal cujo o preço original era $120. É só ser teimoso. 
Sobre as lojas famosas, de marca, vou dar a minha opinião sobre cada uma delas (as que eu frequentei - vale lembrar que não sou de comprar muito):
Forever 21: achei o preço muito parecido com a loja do Shopping Anália Franco (São Paulo). Nesses casos (quando se tem a possibilidade de ir à loja em São Paulo) eu prefiro comprar aqui no Brasil mesmo porque não ocupa espaço na mala (já repararam que na volta as roupas sempre parecem maiores?) e eu não gasto o dinheiro da viagem em algo que posso encontrar em casa. Não é possível pagar com nota de dólar.
MAC: quando eu fui o dólar estava R$3 então cada batom que custava $16 saiu por R$48 e quem acompanha os preços da MAC no Brasil sabe que vale a pena (o preço aqui é em torno de R$ 69 e até mais. Também comprei um lápis de olho e um delineador preto ambos por $21 cada (em torno de R$63 - se tratando do lápis da MAC vale muito a pena). É possível pagar com nota de dólar,
Victoria's Secret: é aquele presente maravilhoso para quem você não sabe o que dar. No meu caso, minha mãe e eu adoramos os produtos VS então comprei tudo só para nós. Em geral os preços são os mesmos do Free Shop (nesse caso, mais uma vez pela questão de espaço da mala, aconselho comprar no Free Shop), menos uma promoção que eu peguei que cada body splash ou hidratante saia $11 (R$33 aprox) na compra de 5. Não resisti. É possível pagar com nota de dólar. 
Passeios: 
Chichen Itza: é a cidade arqueológica maia onde está localizada a pirâmide maia que é uma das sete maravilhas do mundo. Fica um pouquinho longe de Cancun, mas vale muito a pena. Parece que você caiu dentro de um livro de história.
Playa del Carmen: é uma praia, basicamente. Eu gostei muito da Quinta Avenida (um shopping lá perto), fantástico (foi na loja desse shopping que encontrei a promoção da VS 5 por $55)!Cheio de opções, mesmo para quem, assim com eu, não curte comprar e prefere só dar uma voltinha. Não deixe de passar na sorveteria da Haagen Dazs e comer esta casquinha (tem bem poucas lojas no Brasil) 
Dolphin Discovery: confesso que eu só fui porque estava incluso, eu não gosto de nada ligado a exploração de animais. Não indico, embora o Parque Garrafón seja um lugar que valha muito a pena ir. É cheio de atividade e com wi-fi (tirei esta foto aqui lá no parque).
La Isla: é um shopping maravilhoso! Eu juro que não sou consumista e que só amo dar voltas e mais voltas em shoppings, haha! É um shopping a céu aberto com muitas opções. É lá que está uma das lojas da Victoria's Secret, Senor Frogs, MAC, Starbucks e muitas muitas outras opções. Inclusive foi lá que fiz minhas tatuagens de henna. Eu fiz em um quiosque chamado Tattoarte, são muito simpáticos! Não se preocupe, tem um quiosque que oferece henna a cada esquina (quase literalmente).
Baladas (só para constar, baladas não são meu forte): 
The City: não é atoa que uma das maiores baladas da América Latina, são quatro andares! É muito legal! 
Pallazzo: tenta imitar a decoração de um palácio, bacaninha. 
Senor Frogs: eu odiei com todas as minhas forças! É apertado, quente, com um monte de gente suada se esfregando em você. Não via a hora de ir embora. 
Mandala Beach: é a com o ambiente mais legal. É uma grande festa na piscina. Não foi a minha favorita (beijos The City), mas vale a pena pelo ambiente. 
Rapazes: tem MUITO gringo, então se você está focada em pegar caras loiros lá é o paraíso. Tem muito europeu (eu brinco com uma amiga que ela pegou o bloco da União Europeia todo). Se você está afim de um cara para bater papo, trocar ideia e dar uns beijinhos (tipo eu), lamento, mas lá não é o seu lugar. Ninguém está lá para conversar, especialmente quando você diz que é brasileira. Eles têm a ideia de que você é uma devassa por natureza. Inclusive fui obrigada a escutar "você é muito tímida para ser brasileira" - eu só não estava afim de dançar com o cara! Em geral eles ficam surpresos quando você revela ser brasileira e é branca e fala inglês. Até me perguntaram se aqui falava-se tupi. Outra coisa que me chamou atenção foi o fato do cara, independente de você ficar com ele, passa a mão em você - especialmente no traseiro. Como não curto isso, não socializei muito com os caras nas baladas. 
WI-FI: no hotel em que fiquei o wi-fi era $15 por dia. Absurdo! No Wall-Mart você pode comprar um chip por $23 e ter internet para a semana toda. No meu caso, deixei para mandar fotos para minha mãe e amigos quando ia à lugares com wi-fi como Starbucks, a sorveteria da Haagen Dazs, Parque Garrafon e qualquer lugar com um wi-fi amigo. 
No avião (volta): o mesmo tempo que na ida.
Horários: saí do hotel por volta das 10h (12h no horário de Brasília). Saí do CUN por volta das 12h (14h horário de Brasília) e cheguei no AICM por volta das 14h (16h horário de Brasília). Depois saí do AICM por volta da 0h (2h horário de Brasília) e cheguei por volta das 11h no GRU

TODAS as fotos usadas neste post são minhas :3 Se quiser ver a galeria completa, clique aqui

Espero não ter esquecido de nada, mas qualquer dúvida é só me perguntar por aqui ou pelo Twitter que vou ter um imenso prazer em responder! 

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário