WeHeartIt

Já teve épocas da minha vida em que eu era capaz de dizer precisamente o que eu estava sentindo ou pensando, mas atualmente está tudo tão bagunçado que eu mal sou capaz de diferenciar quando eu estou com fome ou quando eu estou com sono. Na dúvida eu sempre durmo e depois tiro uma soneca.
Por mais que entrar na faculdade seja uma época muito esclarecedora da vida, também é uma época de muita confusão. Você saiu do Ensino Médio e, tenha ido direto para a faculdade ou passado pelo cursinho, ainda não tem lá muita maturidade. Alguns mais do que outros, mas nada fora da regra. Não, você não tem maturidade. Você até pode pensar que tem, mas o pessoal do último ano garante que não.  
Nenhum outro sentimento se compara ao de entrar na faculdade. Nada, nadinha. É uma eferverscência de ideias, pensamentos, pessoas e sentimentos, é tudo tão novo ao seu redor, contudo, você continua sendo a mesma pessoa. Na verdade, você está em processo para ser alguém diferente, mas você ainda não. Você não é descolado como imaginou que seria quando pensou que entraria na faculdade, mas você também não tem aquela inocência que você tinha quando você estava no Ensino Médio.

O primeiro ano da faculdade é uma maldita fase de transição. 

Todas as fases de transição são horríveis, eu nunca tive sorte com qualquer uma delas. Desde que eu me entendo por gente sofro com transições, cada vez menos, é verdade, mas isso não me impede de sofrer. Nada me impede de sofrer, eu sofro sempre porque sou artista e me alimento da dor dos sentimentos inexplorados. Enfim. Como a estudante de jornalismo que sou devo parar de reflexões e me ater aos fatos. Foco, foco. Próximo parágrafo. 
Estar na faculdade é mais do que apenas se preparar para o futuro profissional, é se preparar para a vida de forma geral. As suas experiencias na faculdade, ou a falta delas, vão definir quem você vai ser quando adulto, por isso é importante não deixar nada para trás. É preciso tentar abraçar o mundo no melhor dos sentidos. É preciso caminhar por novos percursos sem se perder dos objetivos.

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário