O que seria nosso relacionamento se não nada diferente do que um prédio velho caindo aos pedaços com estrutura condenada? Nós bem que estamos sempre tentando fazer alguns remendos, mas no fundo sabemos que é praticamente impossível que algo melhore. O melhor vencedor é aquele que sabe a hora certa de deixar o campo de batalhas. 
Nos últimos meses não temos fazendo nada diferente do que prolongar o tempo da velha estrutura do nosso prédio, mas no fundo nós sabemos que um dia ela vai cair. E sinto esse dia cada vez mais próximo de nós. 
Não cabe a mim culpá-lo, não quero dar o direito de você fazer o mesmo comigo, sei que seria capaz disso ou de acusações bem piores, mas creio que mesmo você não tendo sido a causa de todos os problemas, você poderia ter concertados-os todos. Você tinha tudo em suas mãos e deixou ir embora. Mesmo sabendo o quanto era importante para mim. Mas acho que colocar um sorriso no meu rosto nunca foi exatamente o seu plano de vida, foi? 
Eu consigo escutar a sua risada, caso lhe fosse perguntado isso. Você não levaria isso a sério, assim como nunca levou eu ou nada o que eu dissesse a sério. Tolice ou descaso? 
Adoraria que você repensasse o caso, mas sei que isso não passa de uma ilusão minha. Você não considera que isso vale a pena, considera? Você fez o seu melhor, é isso que você diz quando aponto algum das suas inúmeras demonstração de descaso e egoísmo, algo que sinceramente nunca achei que você fosse capaz de ser tão ao extremo. 
Somos um prédio velho com estrutura condenada. Daria para continuarmos aos longos das estações fazendo remendos? Sim, claro que daria, mas acho que perdi o interesse. Perdi o interesse em você, em nós ou em ser notada por você. 
O que fui eu diferente de um cachorrinho comportado e bem educado para exibir para os amigos, para você ao longo do nosso tempo juntos? Algo meramente pela aparência. Como você consegue ter orgulho disso? 
Creio que você me culpa pelos danos ao prédio. Ao meu jeito durão, aos meus sonhos utópicos e ao meu sorriso de menina. Mas me culpe o quanto quiser querido, nunca será mais do que eu o culparei. 
Não quero que isso vire uma batalha de culpas, entrar em DR nunca foi seu objetivo em relacionamentos, foi? Só quero que entenda que não importa de quem foi a culpa pelos danos ao prédio, o que realmente importa é a culpa de quem fez uma estrutura tão frágil que com um único temporal de problemas já balançou. Devemos culpar ninguém a não ser nós mesmos, poderíamos ter sido pessoas melhores, com objetivos melhores, com sorrisos mais sinceros e abraços mais carinhosos.
Agora estamos perdidos na distância. Estamos nos olhando como estranhos, por que é isso que nós somos agora. Nada pode nos salvar


Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário