Lembro de quando era criança escutar meu pai dizer aquela velha (e machista) frase que não dá para uma mulher ser bonita e inteligente ao mesmo tempo. Ainda enquanto criança, sempre me perguntei qual eu queria ser quando crescesse, afinal, eram duas qualidades muito boas. Pensem comigo: é ótimo ser considerada uma mulher bonita, todos vão te tratar bem e com certeza sua vida vai ser bem mais fácil assim, mas, por outro lado, ser inteligente abre portas que só dependem de você.
Passei muitos anos tentando achar a conclusão certa desta piadinha machista que ouvia na infância, ainda que sem sucesso. As duas opções sempre me pareceram muito tentadoras e então, em um dia de devaneios, a conclusão caiu no meu colo:
Quando nós, mulheres, somos jovens, lá no início da adolescência, com nossos 12 ou 13 anos, indiretamente a sociedade nos obriga a escolher como nós queremos ser vistas e então, tão novas e imaturas, fazemos nossa escolha. Para exemplificar a situação, é só imaginar a Cerimônia de Escolha do livro/filme Divergente, só que ao invés de escolhermos nossas facções, nós somos obrigadas a escolher a nossa imagem. 
Talvez pela ingenuidade da idade ou talvez pelos valores fúteis da nossa sociedade a grande maioria das mulheres escolhem serem vistas como mulheres bonitas e a partir de então, não importa o quanto capaz elas sejam, ninguém vai vê-las como uma mente brilhante e sim como donas de belas pernas enquanto uma mulher, por mais bonita que seja, se ela escolheu ser vista como uma mulher inteligente, ninguém vai elogia-la quando estiver bonita, afinal, mulheres inteligentes não têm beleza. A grande questão é: não é que uma mulher não possa ser dotada de uma beleza intelectual e física, mas a sociedade é incapaz de enxergar as duas coisas em uma mulher só.
E isso tudo ficou tão claro  para mim quando, em uma aula dessas da escola, o professor pediu para que um garoto fizesse um elogio a alguma menina e todos os nomes sugeridos foram de meninas "do fundão", daquelas que geralmente são consideradas as meninas bonitas da sala. Como se elogio só estivesse relacionado a beleza e como se só elas tivessem alguma beleza. E quando uma dessas meninas respondem algo direito, elas tornam-se alvo de chacota como se elas fossem incapazes de pensarem algo realmente bom. A grande coisa nestes casos é que, na maioria das vezes, só as meninas "inteligentes" que se dão conta de quanto a cabeça de certas pessoas é limitada enquanto as  "bonitas" acham legal que elas são consideradas bonitas enquanto as "inteligentes" são "feias". As pessoas precisam aprender a ter um olhar bi-dimensional em relação a beleza e esteriótipos femininos e as primeiras pessoas que precisam estar cientes disso tudo são as próprias mulheres ao tentarem acabar com essa divisão ridícula que fazem conosco. 
Uma mulher pode tanto ser bonita, como ser inteligente. Não tem que escolher. Na verdade uma mulher pode ser qualquer coisa que ela quiser ser. 

Beijos
S.S Sarfati 

3 COMENTÁRIOS ❤

  1. true story. infelizmente ainda tem muita, muita gente que pensa que beleza e inteligência não podem ser atributos de uma mesma mulher.

    ResponderExcluir
  2. Vc fica quietinha na aula, mas presta atenção em tudo o:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, bem que eu tento! Confesso que geralmente presto muito mais atenção nesses "casinhos" paralelos do que a aula (mas só quando eu não sou muito fã da matéria), mas nesta aula que falei, realmente, presto atenção em absolutamente tudo! :D

      Excluir