"De onde você veio? Do planeta dos perdedores?" "Do oposto do planeta 'olhe para mim', 'olhe para mim'"

Há um conceito bastante interessante sobre homogeneização da sociedade que diz que com a globalização no ritmo frenético atual ela está fazendo a sociedade global ficar cada vez mais igual, que há cada vez menos diferenças entre a sociedade brasileira e a sociedade americana, que há cada vez menos culturas e idiomas e tudo isso  por que as demais sociedades estão se curvando diante de uma. De forma geral a sociedade está ficando cada vez mais igual e com pessoas cada vez menos diferentes.
A grosso modo pode-se dizer que uma pessoa igual é uma que segue determinado padrão, o padrão "normal". Que padrão? Imposto por quem? Não há uma conta no Twitter ou no Facebook que dizem exatamente como deve-se ser ou deve-se agir, pelo menos não diretamente. É possível dizer que agir ou não agir de determinada maneira faz parte de um inconsciente coletivo e o que não está "escrito" nesse inconsciente é visto como "estranho".
O conceito de normalidade é muito tênue: o que é "normal" para um, não é para outro. No filme "10 Coisas Que Eu Odeio Em Você" a Kath é apresentada a nós como a irmã "estranha" enquanto sua irmã, Bianca, é a irmã "normal" e todo mundo, inclusive o pai das meninas,  parece concordar com essa definição até que em uma conversa com Kath, Patrick diz não entender por que todos gostam da irmã dela e que ele acha Bianca vazia. Com essa fala ele deixa bem claro que, na concepção dele, a estranha é a Bianca e não a Kath. O mais interessante é que, para o resto das pessoas, Patrick também é considerado "estranho" e Kath discorda disso e provavelmente por isso que os dois acabam juntos no final do filme: não por serem dois "estranhos", mas por terem concepções de mundo parecidas.
"Estranho" ou "normal" é apenas uma questão de concepção de mundo e a grande questão é que cada vez mais pessoas têm a mesma concepção de mundo e por isso esses termos têm se tornado tão abrangentes. Alguns hábitos enquanto inseridos em um macro-contexto são visto com estranheza devido a falta de naturalidade que as pessoas têm com determinados hábitos enquanto no micro-contexto estão todos bastante familiarizados com tais hábitos. Muitas vezes confundem-se a palavra "normal" pela palavra "natural", o que é natural sempre será mais normal do que o que não é natural. Nada é totalmente "normal" ou totalmente "estranho", as coisas simplesmente são, sem essa necessidade gritante de rotular. 


Beijos
S.S Sarfati

PS1: Eu também acho a Bianca muito mais estranha que a Kath.
PS2:É interessante como alguns pontos de vista não mudam: escrevi este texto em 2013 onde eu disse praticamente a mesma coisa que este texto que acabei de escrever!

Deixe um comentário