Eu em 2012, estou até que bem parecida fisicamente. Mas só isso.

Vocês nunca pararam para imaginar como a vida de vocês vai estar daqui alguns anos? Eu confesso que eu fazia isso com mais frequência a alguns anos atrás, na verdade, eu fazia o tempo todo. 
Quando eu entrei no Ensino Médio (lá em 2012) eu não parava de pensar em como eu estaria quando chegasse no último ano (2014), foram tantos sonhos e projeções não realizados! Hoje quando olho para trás não me sinto frustrada, mas sei que a Sofia de 15 anos ficaria arrasada se soubesse que a Sofia de 17 anos não foi nem de perto quem ela achava que seria. Ela se sentiria mais triste ainda se visse como a Sofia de 19 anos é.
Eu não acho que minha vida esteja ruim, pelo contrário, acho que estou em uma fase maravilhosa da vida e quero aproveitá-la intensamente antes que ela acabe e sei que ela completamente oposta do que eu sonhava para mim há quatro anos atrás, mas imagino que se eu estivesse com a vida a qual eu sonhei talvez eu não estivesse feliz.
Nós estamos mudando o tempo todo e nosso ideal de felicidade também está. Não é possível manter um único ideal de felicidade sem que ele acompanhe nossas mudanças, nossa felicidade é correspondente a fase da vida em que estamos, aos nossos pensamentos e sentimentos.
Antes eu era muito apegada a relacionamentos. Minha meta de vida era ter um relacionamento e se isso não acontecesse, nossa, eu estaria devastada e completamente derrotada. Acontece que hoje eu ainda não tive nenhum relacionamento e não estou nem um pouco devastada ou derrotada. Estou feliz e bastante segura de não ter me envolvido com as pessoas com as quais eu poderia ter me envolvido. Em compensação quando me imagino daqui a alguns anos, embora eu queira estar em um relacionamento, eu espero estar em uma relação amorosa feliz, não é a minha meta. Eu quero além do "felizes para sempre" e essa decisão só veio com a maturidade dos anos.
Daqui a cinco anos, por exemplo, eu espero estar formada em Jornalismo, trabalhando, com mais algum livro publicado, um pouco mais reconhecida do que sou hoje e, se der tudo certo, estar em um relacionamento com algum cara legal que eu conheci por aí. Só que se isso tudo não acontecer, tudo bem também. Está ok para mim. Posso estar formada e sem emprego, por isso posso ter decido gastar o dinheiro que juntei durante os anos para passar um tempo no exterior (meu grande sonho da vida). Posso também ter publicado outro livro e só estar sendo reconhecida entre os mais próximos, não é o ideal, mas acontece. Eu posso ter acabado de sair de um relacionamento longo ou posso estar noiva do grande amor da minha vida. Todas essas possibilidades são válidas.
O importante é não se apegar a coisas desnecessárias. Mesmo que essa coisa não seja física, é essencial que você não se apegue a quem um dia você foi se isso for te impedir de aceitar que você é agora.

Beijos 
S.S Sarfati

Deixe um comentário