A maior dificuldade de fazer uma resenha sobre Harry Potter, qualquer um dos volumes, é que este é apenas o livro mais lido depois da bíblia, ou seja, tudo o que tinha para ser dito a respeito do bruxinho britânico já foi dito. Todavia, sempre é possível falar coisas que foram pouco ditas a respeito do dono da cicatriz mais famosa não apenas da Literatura, mas de toda a cultura pop.
Por exemplo, por que Harry Potter é tudo isso? Tantas sagas foram feitas, mas por que esta em específico ganhou a notoriedade que ganhou?
Harry Potter e a Pedra Filosofal, o volume que abordamos hoje, foi lançado em 1997 e até então o mercado literário ainda não estava saturado de sagas fantasiosas como está hoje, por isso quando apareceu foi uma grande novidade, especialmente porque era destinado ao público adolescente. Era uma das raras ocasiões em que era uma história para adolescentes protagonizado por adolescentes – tendência a qual começou com os filmes adolescentes dos anos de 1980 como “Curtindo a Vida Adoidado”.
Outra coisa que captura a atenção do leitor é a maneira que JK constrói a história, de maneira sólida e detalhada o suficiente para te fazer acreditar que você mesmo está estudando na Escola de Magia e Bruxaria é fantástica. Não é atoa que está se tornando um clássico da Literatura (particularmente espero que meus filhos leiam Harry Potter na escola ao invés de Til do José de Alencar).
Lançado há quase 20 anos, considero que não é mais necessário a preocupação com spoilers, certo? Caso não tenha lido e não queira ter desfechos da história revelados, pare de ler por aqui e vá ler Harry Potter e a Pedra Filosofal.
A história do menino que sobreviveu começa justamente quando ele está chegando na casa dos tios logo após ficar órfão e há uma breve conversa entre quem depois descobriremos ser Dumbledore, Hagrid e Mcgonagall. Então contece um salto no tempo e vemos Harry aos dez anos sendo tratado como trapo pelos tios e vivendo embaixo da escada. Relativamente poucas páginas depois Harry descobre que é bruxo e que vai estudar na escola que é o sonho de todos nós e agora preciso interromper: este é o primeiro instante em que JK ganha nossos corações. É surpreendente a maneira que é narrado sem ser lento, mas ainda sem pecar pela falta de informações.
 Harry Potter e a Pedra Filosofal é o primeiro volume de uma saga a qual conquistaria milhares de jovens ao redor do mundo e com certeza vale a pena ser lido. Independente se você já viu o filme, o livro é muito mais detalhado e nos faz entender muitas coisas que no filme não ficam tão claras – embora a saga Harry Potter no cinema é uma das adaptações mais fiéis que eu já vi.

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário