Faz uma semana que a Netflix lançou sua primeira série de época original: The Crown (A Coroa, em tradução livre). Extremamente fidedigna as referências históricas, The Crown, conta a história da Rainha Elizabeth II, atual rainha da Inglaterra, desde o seu casamento com atual Príncipe Philip, passando pela morte do seu pai, Rei George VI, indo até pouco depois que o Primeiro Ministro da Grã Bretanha, Winston Churchill, renuncia ao cargo. Além disso, a série mostra as nuances da recente abdicação do Rei Edward VIII.
A família real britânica é motivo de curiosidade do mundo todo há muitos anos e The Crown mata um pouco nossa realidade de como são os bastidores da monarquia mais tradicional - e amada - do mundo. Com uma belíssima fotografia, The Crown, promete conquistar vários fãs, além de ajudar os fãs de Downton Abbey a matarem as saudades da aristocracia britânica desde que ficaram órfãos da série em 2015. 
Com um super orçamento de mais de 120 milhões de dólares (cerca de 400 milhões de reais) e mais de oito meses de produção, a série que infelizmente teve uma das piores estréias nos Estados Unidos, é muito forte a concorrer a prêmios como o Globo de Ouro e está sendo bastante aclamada pela crítica especializada, uma vez que é tendência nos Estados Unidos séries com protagonistas estrangeiros serem deixadas de lado pelos usuários do serviço.
A série tem um roteiro excelente e te faz se sentir tão imerso naquela realidade que é um choque quando você pausa a série e se depara com a realidade. Contudo, não é de se estranhar que o roteiro seja tão bom e tão fiel ao retrato da monarca que está a mais tempo no poder, ele foi feito pelo produtor e roterista Peter Morgan responsável também pelo filme A Rainha, de 2007, que conta sobre os bastidores da morte da Princesa Diana em 1997. O filme teve seis indicações ao Oscar e quatro ao Globo de Ouro, ganhando como Melhor Atriz e Melhor Roteiro.
É uma série altamente recomendada a aqueles que mais do que saber se eles viveram felizes para sempre, querem saber como eles viveram para sempre. Apesar de sabermos que Elizabeth e Philip continuam juntos até hoje (em 2017 eles completam 70 anos de casamento), isso não basta. Nos pegamos torcendo para que eles, de fato, sejam felizes para sempre. Sei que se houver uma segunda temporada (cruzem os dedos!) vai demorar muito para que ela seja lançada, mas é a vida de um maratonista de Netflix.

E vocês, já assistiram? Se já, gostaram? Estão com vontade de assistir? Me contem!
Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário