Fazia muito tempo que eu não via uma série causar tanto como 13 Reasons Why (ou 13 Porquês, em tradução livre) causou. A série da Netflix que teve como produtora a ex-estrela Disney Selena Gomez, estreou dia 31/3 e em menos de 24 horas o assunto já era um dos mais comentados nas redes sociais.

Baseado no livro homônimo de Jay Asher lançado em 2007, a série conta a história de Hanna Baker - uma adolescente comum que choca o seu círculo social quando não apenas se suicida, mas deixa 13 fitas falando os motivos que levaram ela a cometer suicídio, contudo os motivos são pessoas bastante específicas, como ex-melhor amiga, um ex-ficante... E a série conta tudo isso a partir do momento em que Clay recebe as fitas.


Com um roteiro fraco, a produção é bastante tediosa e não cativa, além de ser uma clara exploração do sentimento de culpa. Como série ela é bem ruinzinha, mas não foi por isso que ela chamou tanta atenção para si. Ela tocou em um assunto que ainda é tabu: o suicídio, a depressão e a saúde mental. Foi ótimo uma série ter falado sobre isso e ter conscientizado tantas pessoas a respeito de algo tão comum e tão pouco falado, mas discordo veemente sobre a maneira que ela falou sobre isso e, principalmente, sobre como os fãs interpretaram.


Primeiramente, não é uma série "pesada". Como alguém que sofreu bullying na escola e profundamente emotiva, esperava mais "climão" de uma série que se propunha a isso. Talvez para adolescentes em fase escolar a identificação em alguns momentos tenha gerado desconforto, mas nada que adultos que já saíram da escola não saibam lidar - o que me faz  pensar em como o Ensino Médio ainda é um período em aberto para muitas pessoas. Seja como a causa de vários traumas, assim como muitas pessoas não saibam viver fora daquela estrutura social pois eram beneficiadas das opressões e traumas que geravam.


Além disso, achei que Hanna estava muito mais preocupada em gerar sofrimento para quem havia feito ela sofrer do que em acabar com seu sofrimento. Ela não é uma vítima padrão de suicídio e foi isso que assustou muita gente: ver que pessoas como elas poderiam chegar a esse extremo e não apenas esquisitos e desajustados sociais. Um dos motivos pelos quais suspeito que a série tenha tocado tantas pessoas é porque elas se identificaram não com a Hanna, mas com quem foi um dos motivos do suicídio dela. Deve ser assustador você pensar na sua vida e ver como você foi capaz de causar sofrimento para alguém simplesmente porque você não sabia lidar com a sua vida e pensar que essa pessoa poderia ter tirado a própria vida pensando no que você fez para ela.


Algo muito gritante na série e que eu mesma passei por isso foi a escola se eximir da responsabilidade de controlar seus alunos. Quando eu sofri bullying em 2008/2009, minha mãe foi na escola falar sobre o que estava acontecendo comigo e a escola fingia que não era com ela. Chegaram até mesmo a dizer que se só eu estava com esse problema era porque eu era diferente demais e eu era o problema e por isso deveria me adaptar a eles. Muito mais fácil do que ensinar seus alunos a respeitarem, não é mesmo? Outro ponto que acho válida é como os pais da Hanna foram omissos. Eles não faziam ideia do que passava na vida da filha, estavam tão preocupados com eles mesmos que não olhavam a sua volta - como a maioria das pessoas faz.


Eu fico feliz que tenham tocado nesse assunto, mas acho que ainda há um longo caminho a ser percorrido. A série vai ter uma segunda temporada totalmente original uma vez que não a história do livro acaba onde o 13º acaba e tem como premissa sabemos as consequências agora que já sabemos os parques. Sua estréia está prevista para 2018 e acredito que será melhor do que a primeira temporada pois tem como explorar melhor alguns pontos deixados sem nó na primeira temporada.

E vocês, o que acharam da série?
Beijos
S.S Sarfai

UM COMENTÁRIO ❤

  1. Eu passei pelo MESMO que vc na escola. E quando fui com minha mãe, a diretora até disse que eu devia ser mais educada com os outros, ficou procurando o problema em mim e etc...

    Mudei de turma, mas nada mudou. Minha vida na escola foi uma folha em branco... concordo com vc sobre ter sido bacana uma série adolescente retratar isto e que infelizmente ainda é pouco...

    ResponderExcluir