Um dia só para o professor, que beleza! E ao contrário das outras profissões, vááárias pessoas lembram e algumas até dão um mimo para ele.
Enquanto eu dava os meus primeiros passos na aprendizagem da nossa língua portuguesa com alguma destemida professora que insistia em riscar os desenhos que eu fazia no caderno ou até mesmo confiscar o livro que eu tinha acabado de pegar na biblioteca só por que eu estava lendo durante a aula de ciências , lembro-me de manter o seguinte pensamento em mente: "toda palavra terminada em 'r' é verbo". Essa mesma professora me perguntou sobre a palavra professor: segundo a minha lógica, 'professor' também era um verbo, certo? Bem, descobri que minha lógica não era tão lógica assim e que 'professor' pertencia a classe de substantivos. Mas pensando bem, até que faria sentido se fosse um verbo.
Verbo é uma palavra que expressa ação, ponto. Mas ser professor não é expressar uma ação? 'Professorar' não é uma ação? Cada professor que eu tive nesses meus doze anos frequentando a escola 'professora' ou 'professorou' de um jeito: a professora da quarta série era durona, a da segundo me achava chorona e mimada, e a da primeira era uma fofa. Quando cheguei no Ensino Fundamental II, como é de se esperar, passei a ter vários professores: o de matemática impunha respeito, mas foi um dos melhores que já tive; a de português achava os meus textos horríveis e dizia que eu deveria parar de me iludir achando que tinha talento; Quando mudei de escola, a nova professora de português também não gostava do que eu escrevia, o professor de geografia vivia fazendo piadas e tinha vários 'quotes' que eu jamais serei capaz de esquecer e a de ciências era bem durona, mas lá dentro tinha um coração mole.  No Ensino Médio, finalmente quase que por milagre divino encontrei uma professora de português que gosta do que eu escrevo (nem foi a de redação, foi gramática e literatura mesmo), um professor de matemática que me manda para o Pólo Norte, uma de história que dizem que ela é uma múmia disfarçada, um de geografia que 'eu considero pra caramba', uma de química que é na verdade uma bruxa, uma de biologia que gostava de mim apesar dos pesares e um de filosofia que faz das aulas dele algo cada vez mais interessante (eu pareço não estar prestando atenção enquanto desenho ou escrevo, mas mentira, estou sim).
Depois de narrar um pouquinho de todos os professores que eu tive nesses doze que frequento a escola, só fica a seguinte lição: professor é um verbo pois expressa uma ação. Uma ação única e essencial que só pessoas apaixonadas são capazes de fazer. 


Feliz dia dos professores
Beijos
S. S Sarfati

Deixe um comentário