Aqui estou eu, narrando algo que está acontecendo exatamente agora. Heitor e eu finalmente nos acertamos e estamos juntos. Tipo juntos mesmo e isso é o máximo! É uma euforia sem tamanho dentro de mim, a todo instante quero gritar para todo mundo ouvir ou simplesmente sorrir sozinha... Exatamente como estou fazendo agora. Ele percebe e ri enquanto passa o braço em volta de mim e me traz para mais perto dele de um jeito em que nossas bocas fiquem exatamente na mesma altura para que ele possa me beijar... e ele me beija. Eu rio. Não que seja engraçado, mas toda essas situação é: olhe quem eu era exatamente um mês atrás quando comecei a escrever, hoje sou uma nova mulher. Ok, não é para tanto, mas sou bem mais equilibrada do que eu era no início do mês... Eu acho.
Bem, talvez você esteja se perguntando aonde exatamente eu estou, por isso respondo: estamos em um circo. Um dos alunos do Heitor é meio metido a palhaço (no sentido literal, não na metáfora do cara ser um babaca total) e como o Heitor prometeu que viria vê-lo até o fim da temporada, aqui estou! Quando tentei argumentar ele simplesmente disse que eu já era uma palhacinha então não teria problema vir aqui. Eu fico falando e pensando em quanto eu mudei agora que eu estou com o Heitor, mas parece que não observo nada da parte dele também: ele não apenas tem estado em um excelente humor (digo excelente por que é desde a hora em que ele acorda até a hora em que ele vai dormir ele está todo alegrinho. Confesso que isso às vezes cansa, mas eu não me canso de pensar na possibilidade de me cansar da felicidade dele. Se for para ele estar feliz, que eu me canse logo).
Eu passei tanto tampo fazendo perguntas cujas as respostas estiveram na minha frente o tempo todo e só eu não vi. Era tudo tão simples e fácil, mas mesmo assim eu decidi ir pelo caminho complicado. Não acho que tenha sido uma escolha daquelas que eu simplesmente não tinha noção de que como poderia ser simples e foi, mas daquelas que eu sabia que havia um jeito mais fácil e só estava com preguiça de procurá-lo. Como se ficar do jeito mais difícil fosse mais fácil do que o jeito fácil propriamente dito. Isso é louco. Será que acontece só comigo? Porque tenho a impressão que coisas assim só acontecem comigo. E só comigo e com mais ninguém, ponto final. 
O Heitor está me olhando pela lateral do óculos. Ele acha engraçado quando começo a "falar sozinha". Coloco entre aspas porque não estou literalmente falando sozinha, só estou fazendo um monólogo dentro da minha cabeça. Super normal. 
Quando Heitor e eu decidimos nos tornar oficialmente um casal, parece que tudo ao redor do centro da minha vida amorosa se ajeitou. Talvez o melhor jeito de ter uma boa plantação não seja pedindo pela chuva, e sim deixando que os céus se encarreguem de chover na melhor época. 

UM COMENTÁRIO ❤

  1. "Talvez o melhor jeito de ter uma boa plantação não seja pedindo pela chuva, e sim deixando que os céus se encarreguem de chover na melhor época.'

    Lindo <3
    Arrasou

    ResponderExcluir