Uma das mais belas citações que já tive o prazer de fazer é "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" do livro Pequeno Príncipe. Já li três vezes na tentativa de me fazer gostar da obra, mas tudo o que me ocorreu foi a confirmação de não ser tão fã como as pessoas esperam que eu seja. De todo modo, essa frase é uma das mais belas e límpidas verdades que já foram escritas.
Uma pessoa em si só já é algo difícil de lidar, mas quando há duas delas e há uma conexão, seja breve ou douradora, torna-se algo não apenas difícil de lidar, mas difícil de entender, difícil de traduzir sentimentos em palavras. Não estou falando do amor romântico que vem abalando os humanos desde a sua descoberta, mas aquele amor tímido e que nem sempre é amor propriamente dito. Aquelas duas outras pessoas que estão presas por vontade, que tem com quem mata lealdade e que mantém um andar solitário entre gente, aquelas duas pessoas que um dia, simplesmente por vontade ou falta do que fazer, denominaram-se amigas. Amizade é uma espécie de amor platônico onde duas pessoas se amam, mas nunca vão se amar realmente. 
As pessoas têm a mania de colocar o amor romântico na frente da amizade, mas sei não. Quando o amor acabar, a amizade que vai estar lá para limpar o sangue que escorrer. 
Sei que não me perguntaram nada, mas insisto em dizer mesmo assim: você torna-se realmente responsável por tudo o que cativas. Se você não está interessado em ter uma responsabilidade a mais, não cative ninguém. Se você não quer que fique, não deixe entrar. Quase fazendo outra citação peço que aceite receber apenas o que é capaz de dar. Amizade é uma troca e em trocas as duas pessoas saem ganhando. Tenha consciência do que você é capaz ou não e quando uma pessoa for dar à você mais do que você é capaz de dar, educadamente recuse. Apenas recuse antes que cative a pessoa.

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário