Com a morte do Robin Williams o Facebook pipocou de imagens dos filmes dele, especialmente de um dos meus favoritos de todos os tempos: Sociedade dos Poetas Mortos. Eu mesma compartilhei várias imagens do Mr. Keating professando os mais belos ensinamentos ao seus alunos que embora tradicionais, tinham todo o potencial para tornar-se pessoas que aproveitavam o dia, literalmente. Isso me colocou a pensar sobre o impacto que esse filme me causou, não só quando assisti ele pela primeira vez, mas principalmente naquela vez. Eu estava no primeiro ano e sim, eu falo como se isso fizesse muito tempo. A professora de literatura levou o filme para explicar para a turma o conceito de Carpe Diem e caramba, acho que ela nunca teve a noção de como eu aprendi direitinho o que ela queria dizer quando dizia que deveríamos aproveitar o dia. Algo simples como passar um filme para uns quase cinquenta adolescentes de quinze ou dezesseis anos esperando que eles entendem-se só um pouquinho da grande mensagem do filme tornou minha vida muito mais sublime em tantos os sentidos. Mostrar para mim algo que eu sempre quis ver, mas nunca tinha tido a chance, me causa uma identificação tão grande nos alunos daquela determinada turma mostrada no filme. Não importa o que aconteça daqui para frente, eu não vejo mais o mundo da mesma maneira. Oh capitan, my capitan! Eu subiria em cima da mesa pela senhora professora!

Se você não tiver entendido exatamente o que eu falei sobre subir em cima da mesa, você pode clicar aqui e aqui (está tudo em inglês e sem legenda, foi mal :/)

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário