Clarice começou um dos seus grandes romances afirmando que tudo começou com um sim. Mais precisamente ela disse que tudo começou começou com um sim e que uma molécula disse sim para outra molécula e assim que a vida começou.
Tudo realmente começou com um sim. Alguém ao invés de dizer não disse sim e uma amizade começou ai. Alguém disse sim para apostar na loteria e ai ficou rico. Alguém disse sim para um apaixonado e começou um relacionamento. Você disse sim para ler esse texto e agora está lendo isso aqui. 
Antes de tudo você teve que dizer sim para as circunstâncias, você teve que aceitá-las. Você teve que dizer sim para estar onde está e fazer o que está fazendo. Você teve que dizer sim para seja lá qual for sua vida, mesmo que você diga que não escolheu a vida que você tem hoje.
Teve que existir um sim para você fazer algo que você odeie, nem que seja um sim apenas pela obrigação moral.
Embora tudo tenha começado com um sim, o não sempre esteve lá. Quando não era dito que sim, o não estava lá implícito esperando sua hora de aparecer, mas dependendo do caso ele nunca era dito e as coisas ficavam daquele jeito, no modo de espera por que nada era decidido. 
Doía. A indecisão doía e de tanto doer a indecisão tornava-se uma decisão presumida. Aquele que seria afetado diretamente pela decisão presumia, escolhia qual era a melhor opção: se era sim ou não. E então a pessoa que tardou a decidir ou nem decidiu vira vítima do seu próprio descaso ou lentidão. Essa pessoa não disse sim para as consequências da decisão, ela disse disse sim para virar vítima das circunstancias ao não dizer nada para se decidir.
Por que tudo começou com um sim: a simples ausência do sim tornou-se não, o descaso do talvez tornou-se sim para o acaso e principalmente o sim começou a valer como faísca para a vida.


Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário