Eu nunca realmente perdoei alguém, talvez por que ninguém nunca tenha feito nada que eu julgo que devesse ser perdoado. Lógico que já pisaram na bola comigo, que já me fizeram esperar duas horas e perder a sessão do cinema, mas "perdão" é algo muito mais forte do que  "Desculpa?" "Tá desculpado".
Primeiro de tudo, eu não me julgo capaz de perdoar ninguém. Acho isso algo muito grandioso para uma ralé como eu fazer, mas se mesmo assim eu precisasse perdoar alguém, acho que o perdão mais difícil seria perdoar meu pai: eu queria ter tido um pai amoroso, eu queria ter tido alguém que me amasse, eu queria ter um pai amigão o qual eu conversaria toda semana, mas ele nunca quis nada disso e nunca nem se importou com o que eu queria ou o que era importante para mim: as vontades dele eram supremas e nelas que se baseavam todas as decisões. Ele era, e ainda é, egoísta.
Eu não estou pronta para perdoar: seja o egoísmo do meu pai, seja ele em si. Não estou pronta para dizer que superei, não estou pronta para mentir para mim mesma. Eu fui a uma terapeuta que disse que meu pai deveria ter uma morte psicológica para que eu pudesse seguir em frente e eu não sei se eu concordo com ela: quer dizer que eu tenho que matar meu pai para que eu possa seguir em frente? Por que eu não posso simplesmente não me importar e seguir minha caminhada? 
A questão é que eu não faço a miníma ideia de como matar meu pai. 
Essa frase fora do contexto me traria (ou talvez ainda traga) vários problemas. 
Neste caso, escolher matá-lo seria escolher acabar com as lembranças ruins, mágoa, dor assim como acabar com os momentos felizes. E alguns momentos felizes são felizes demais para fingir que nunca existiram.
Honestamente não sei como vou fazer isso ou até mesmo quando e se vou fazer isso. Eu só quero viver em paz. A paz que eu nunca tive.
Eu não quero viver o resto da minha vida me sentindo um efeito colateral dos feitos dele, eu sou mais do que isso! Eu sou alguém e sei que tenho uma vida linda pela frente, só preciso descobrir como faço exatamente para encontrá-la e aproveitá-la. 

Deixe um comentário