Acho curioso como o substantivo "verão" que diz respeito a estações do ano é extremamente parecido com o verbo "ver" no futuro, "verão". Acho que isso contribui um pouco com a ideia de que o verão sempre é a estação do ano que mais demora para chegar, pelo menos para mim.
Usando estas duas palavras como eu exemplo eu digo mais: há várias coisas nessa vida que aparentemente são iguais, mas no final não poderiam ser mais diferentes.
Amor é uma dessas coisas.
Quando se é criança e você está aprendendo o que é amor, você acha que amor é o sentimento de gostar de alguém e acha que amor é sempre igual quando pelo contrário, amor é sempre diferente. Você nunca ama a mesma pessoa duas vezes da mesma maneira e nunca ama duas pessoas de uma maneira igual. Vou tentar ser mais clara:
Eu amo o Heitor há uns dez anos, mas de no mínimo umas três maneiras diferentes: primeiro eu amava-o como um amigo do fundo do ônibus, depois como o meu melhor amigo que estava sempre pronto para me segurar quando eu fosse cair e agora como aquele cara por quem eu sou louca. Sim, eu sou simplesmente louca por ele de uma maneira que eu nunca fui por ninguém.
Quando eu namorava o Aurélio, muitos e muitos anos atrás, meu amor por ele era diferente, era algo mais puro, algo mais "meu primeiro amor" enquanto hoje, amando o Heitor, é algo apaixonado, carnal e não vejo problema algum em amar pessoas de maneiras diferentes, afinal pessoas são diferentes entre si.

Deixe um comentário