Quando Dezembro chega é preciso começar a pensar em uma coisa: o que será de nós nas festas de final de ano? Parece bobagem, mas se você não se planejar com bastante antecedência você fica sozinho nessas festas e ninguém merece ficar sozinho nessas festas. Especialmente no Natal.
De todo modo, Heitor e eu já nos decidimos sobre as festas de final de ano: a véspera de Natal na casa da mãe dele e o almoço na casa do meu pai. E adivinhem só o que vamos fazer no Ano-Novo? Viajar! Estou tão animada! 
Nós vamos viajar de carro e eu adoro viajar de carro, especialmente quando é o Heitor dirigindo. Eu sei disso por que já viajamos juntos de férias antes, mas não exatamente da maneira que vamos fazer este final de ano pelo simples fato de não estarmos namorando antes e agora estamos. Bobeira. Quero dizer, nem sei se algo vai realmente mudar entre a gente. 
Até agora nada mudou. Ainda temos aquela dinâmica de amigos, sabe? Realmente "feliz daquele que tem o amante e o melhor amigo na mesma pessoa". É tão mais simples: quando eu estou com um problema eu posso conversar com o Heitor e quando eu estou com vontade de dar uns amassos eu também falo com o Heitor. Viu, muito mais simples do que antes quando eu tinha que buscar alguém para dar uns amassos. Mesmo quando o Heitor faz algo que me chateia eu tenho a liberdade de falar isso para ele e também pulamos aquela coisa de início de relacionamento onde um tenta ser perfeito para o outro: já sabemos das nossas falhas e das falhas do outro então não tem o que ou por que esconder algo. 
Em começo de relacionamento mais do que tentar esconder nossos defeitos para o outro, nós tentamos esconder nossos defeitos para nós mesmos por que achamos que só seremos amados se formos perfeitos, quando é exatamente ao contrário: nós seremos amados pelos nossos defeitos. Por que qualidades, bem, qualidades é algo fácil e gostoso de lembrar e ressaltar enquanto defeitos nem tanto e é sobre isso que é amor: lembrar dos defeitos de alguém e decidir que eles não importam tanto assim. Por exemplo, o mau humor do Heitor é uma coisa que faz dele único (sério, eu nunca vi alguém tão mal humorada como o Heitor), mas não é apenas o mau humor dele: é a maneira que ele lida com o mau humor dele que me faz amar ainda mais ele. Ele sabe quando está mal humorado, e quando está, faz piada com isso. Fazer piada é a qualidade do Heitor, mas do que seria essa qualidade se ele não tivesse um defeito para tirar sarro? 
Eu não sei como isso é para ele e vocês muito menos: quem está contando esta história sou eu e eu posso estar inventando tudo isso.
Supondo que eu esteja falando sério, digo que Heitor e eu vamos para um hotel fazenda para a virada de 2015, é há umas quatro horas daqui e fica entre uma montanha e um rio. E eu já disse que eu odeio trilhas enquanto o Heitor é louco por elas? Bem, acho que ele vai entender que é só um defeito meu e deixar de lado. Ou fazer uma piada. Ou os dois, se é que tem como.

Deixe um comentário