Eu estou bastante assustada por já estarmos em Novembro, sério. Os aniversários dos meus pais são no mês de Novembro então todo ano, quando passa pelo aniversário deles, eu já fico assustada por saber o quanto perto estamos do final do ano. 
Não que eu seja apegada ao ano em que eu estou, pelo contrário, têm anos, como o de 2015, que eu não vejo a hora de acabar e começar tudo de novo, mesmo sabendo que a vida na verdade continua seguindo seu curso e a mudança de ano é apenas uma maneira de recarregar esperanças de uma vida melhor - funciona muito bem para mim e, acredito eu, para quase todo mundo. Na verdade, a sua vida vai continuar a mesma porcaria que foi no ano anterior se você não mudar, mas às vezes a virada do ano dá aquele empurrãozinho para que mudemos nossa vida.
Eu me assusto sim com a passagem do ano mesmo em anos que eu quero que acabe. O problema não é o ano que passou em si, mas o tempo que se foi e que não vai voltar mais. É como se em um ano ruim você olhasse para si e pensasse que mesmo com 12 meses você não conseguiu resolver a sua vida. É quase como se você tivesse jogado esses 12 meses fora sofrendo por algo que você não queria. 
A passagem do tempo assusta quase todas as pessoas, é meio impossível não assustar, afinal, falar do tempo que passa é falar do desconhecido e o desconhecido assusta. Claro que o futuro pode ser melhor, mas não importa quanto ruim for o presente, você já está acostumado a isso, você já o conhece. Nada pior do que lidar com um inimigo desconhecido.
Eu queria voltar para Janeiro deste ano, queria mesmo. Era tudo o que eu queria. Tomaria decisões diferentes, criaria menos expectativas, evitaria equívocos e me importaria menos com problemas pequenos. Acho que muita gente faria essas mesmas coisas se pudesse voltar para Janeiro, mas não podemos. A única coisa que podemos é tomar cuidado para não repetir os erros no novo ano que vem por aí,

Beijos 
S,S Sarfati

Deixe um comentário