Eu me considero uma pessoa jovem afinal só tenho dezenove anos. Se pensar pelo lado que são quase duas décadas, é bastante tempo, mas se você pensar que tem gente na minha família que já está chegando aos noventa anos, eu sou uma bebê. 
Eu sei que eu sou nova e que tenho muita coisa pela frente, mas até que eu já aprendi uma coisa ou outra sobre a vida. Não muito, lógico, ainda comento minhas burradas, mas hoje eu sei que tenho mais conhecimento sobre a vida do que eu tinha há dois anos atrás. Na verdade, estes últimos tem passado tão rápido que eu acho que hoje já sei mais do que eu sabia há dois meses atrás. Tenho vivido semanas em um único dia.
Se tem alguma coisa que eu aprendi e faço questão de passar para frente é que o amor é indolor. Durante muito tempo associei que se eu sofresse, chorasse, sentisse uma dor quase física quando eu estava gostando de algum carinha era porque eu estava realmente afim dele, porque ele sim valia a pena, que eu estava de fato apaixonada, que ele era especial, etc, etc e etc. Só que a única coisa que eu estava acontecendo de verdade e que eu estava me sabotando. Eu pensava não ser digna de amor, que a única coisa que eu poderia fazer no campo amoroso era gostar. mas que eu nunca seria gostada. 
Tudo isso me impedia de sair, conhecer pessoas, estar aberta a conhece-las, estar aberta a me envolver, a me apaixonar, me impedia de basicamente viver, especialmente viver como um adolescente vive. Quantos rapazes sensacionais eu não deixei saírem da minha vida por medo de ser correspondida? 
Sofrer com mensagens não respondidas, reclamar de ser colocada de escanteio várias e várias vezes e ter a nítida sensação de que você nunca vai ser importante para a pessoa como ela é para você, isso tudo não é amor. É sofrimento e ninguém merece isso.
Eu tenho certeza que eu não sou a única que já me sabotei com coisa do tipo, talvez você faça o mesmo. Cada um que faz isso tem o seus motivos, mas o importante é estar aberto para resolver os seus problemas e deixar as coisas fluírem como devem fluir.
Todo mundo merece alguém que goste e faça questão de demonstrar isso, nada do contrário. O verdadeiro amor não dói e não te faz sofrer. O que te faz sofrer é a rejeição e em hipótese alguma isso deve ser confundido com amor. Todos são dignos de amor e jamais se permita pensar o contrário.

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário