Sabe aquela frase que diz que quando temos 16 anos tudo é mais intenso? Que tudo parece o fim do mundo mesmo que isso não seja necessariamente verdade? Isso não poderia ser mais verdade. Hoje, beirando os vinte anos, relembro de alguns dos meus dramas de quando eu tinha 16 anos e percebo que hoje em dia eu não faria metade deles.
Só que eu não sei se o fato de termos nossos sentimentos um pouco mais apaziguados é necessariamente algo bom. Independente da natureza, mas o  simples fato de sentirmos alguma coisa significa que estamos vivos e conforme vamos ficando adultos nós sentimos cada vez menos, então isso significa que estamos cada vez mais sendo zumbis por aí. Zumbis que ao invés de procurarmos cérebros procuramos bens materiais e relações furadas para taparmos os buracos que temos dentro de nós. 
Quando ficamos afim de alguém, realmente deveríamos ficar afim de alguém. Sem meio termo, tudo ou nada. Eu não sei como "curtir" alguém. Nada de "nos vemos por aí", já que é para nos encontrarmos, porque não marcamos de nos encontrarmos de fato em algum lugar?
Desculpa se por algum momento pareci uma daquelas loucas por relacionamento que escreve textos dizendo que o único relacionamento bom é o relacionamento sério, não sou dessas. Acredito que cada um sabe o que é melhor para si, mas também acredito que haja uma falta de comprometimento em relação a tudo e isso se reflita especialmente nos relacionamentos.
Somos carentes de amor, mas não sabemos amar. Somos desesperados por atenção e mendigamos likes como uma forma supérflua de nos sentirmos bem em relação a nós mesmos. A verdade é que odiamos o que vemos no espelho, odiamos a maneira que as pessoas têm nos tratado, mas especialmente odiamos como somos obrigados a nos tratar todos os dias. Precisamos ser tantas coisas diferentes que em momento algum permite-se que desenvolvemos alguma característica única.
Nós, com nossos vinte e poucos anos, somos uma geração educada para não nos aprofundarmos em nada, sermos supérfluos e um pouco f'úteis, contudo quem sofre as consequências disso ao mesmo tempo que é duramente criticada pelas gerações anteriores somos nós. Desconhecemos a intensidade e não sabemos diferenciar o quente do frio por estarmos acostumados com o morno. Queremos conquistar o mundo ao mesmo tempo que não sabemos como conquistar o primeiro emprego, o que muitas vezes é mal visto pelos mais velhos, mas por favor não nos culpem: não sabemos ser de outro jeito. Nos perdoem também pelo nosso jeito arrogante de ser, arrogância nos dias de hoje é muito mais do que uma característica, é uma necessidade. Desculpem-nos o transtorno, mas estamos tentando buscar um rumo nas nossas vidas.


Beijos
S.S Sarfati

Não se esqueçam de se inscrever para a Newsletter do blog clicando aqui, emails toda semana!

UM COMENTÁRIO ❤

  1. Bonito texto. Desculpados huehue.
    A geração de hoje, tem precisado de mais amor.
    Que possa procurar o rumo de sua vida, e ser muito feliz.
    Amei ter conhecido seu blog, e poder ler esses textos, tão bonitos.
    Beijos.
    sobrevivendo-ao-caos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir