WeHeartIt

Acho que todo mundo que acessa o Facebook (falando em Facebook, já curtiu a página do blog) deve ter visto alguma coisa, pelo menos uma notinha, falando sobre o Setembro Amarelo. Só que afinal, o que é esse tal de Setembro Amarelo?
Setembro Amarelo é um mês, no caso o de Setembro, que é inteiramente dedicado a falar sobre transtornos psicológicos afim de conscientizar a população de maneira geral sobre esses problemas que atingem tanta gente e muitas vezes ignoramos achando que é normal. O que me chamou muito a atenção foi que grande parte dos problemas psicológicos são causados, muitas vezes, especialmente entre os jovens, por causa da escola, cursinho e faculdade. Mas esses anos não eram para serem os melhores anos das nossas vidas? 
Durante o ano de 2015 eu estive matriculada em um Pré Vestibular, mas simplesmente não aguentei lidar com aquilo. Durante muito tempo achei que o problema era eu, que eu não havia aguentado a pressão e que eu era mais fraca do que conseguia continuar lá, alguns amigos mais próximos até insinuaram esse tipo de coisa, até eu perceber que não era nada disso. Incentivar um jovem de 18 anos largar tudo para entrar na faculdade não é normal e nunca será. É uma fase tão rica em tantos aspectos diferentes que eu não poderia me lamentar mais por ter passado meus 18 anos em depressão.
Não é normal professor ter fama de reprovar metade da sala ou pegar implicância com um aluno ao ponto de obriga-lo a fazer a mesma matéria quatro vezes.  Eu não sei porque a sociedade insiste em dizer que tudo isso é ok, aceitável e até bom porque não é. Só ano passado mil jovens que estavam matriculados em universidades se suicidaram. Mil vidas que poderiam ter sido vividas plenamente e grandiosamente que não foram por motivos como os citados acima. Não é normal se sentir infeliz porque todo mundo se sente. Infelicidade não é algo que deva ser normal.
Eu sofri a minha vida inteira por ser mais sensível do que a maioria das pessoas, por ser fora do padrão em diversos aspectos e hoje, com quase 20 anos, que tenho força o suficiente para não ligar para essas coisas, mas se você não tem, não tem problema nenhum nisso. Você não é melhor ou pior por não ter desenvolvido mecanismos de defesa contra esse tipo de coisa. Só continue aguentando e, não importa o que aconteça, não há nada errado em ser mais sensível ou coisa do tipo. Sei que é cliche dizer isso, mas a melhor coisa que você pode fazer é ser você mesmo.
Sei que não tenho nenhuma formação na área da saúde (pelo menos ainda não), mas se você tiver passando por algumas problemas como estes que eu falei hoje ou que eu tenha falado algum dia ou você simplesmente se sente seguro em falar comigo sobre algo que te aflige, me manda um email sophiesamiesarfati@gmail.com

Beijos
S.S Sarfati

Não se esqueçam de se inscrever para a Newsletter do blog clicando aqui, emails toda semana!

Deixe um comentário