WeHeartIt

Olhe nos meus olhos e saiba que eu não sou sua como na verdade nunca fui. Não sou sua propriedade tanto quanto me arrependo de um dia ter sido qualquer coisa sua. Pessoas como você não merecem serem coadjuvantes na vida de pessoas como eu, você merece ficar sozinho, na tua, sem incomodar, fingindo que não existe.
Me arrependo de ter te conhecido. De ter virado quando para te ouvir quando você me chamou e, pior, ter continuado aquela conversa sua besta sobre a temperatura. De ter inventado motivos para conversar com você, chamar sua atenção, ser notada. Se te acuso de não ter sido 100% honesto comigo desde o início, acuso-me de ter feito o mesmo.
Eu nunca fui sua, sempre fui minha e só minha. Só eu tenho poder de decidir o que vou fazer, o que não vou. Com quem converso, com quem eu ando e tudo mais que vem no pacote "ser dona de mim". Eu só queria alguém para dividir um pouco da minha vida, sabe? Não, obviamente você não sabe. Porque você queria simplesmente tomar minha vida nas suas mãos como se ela fosse sua. Não de uma maneira diretamente submissa, mas de uma maneira que minha vida fosse minha, mas antes ela era sua.
Eu nunca fui sua, agora muito menos. Você está riscado para sempre da minha vida para sempre e nada que você faça vai mudar isso. Não acredito que as pessoas mudem e muito menos que eu posso mudar alguém, então aquela conversa que você é alguém melhor comigo simplesmente não cola, sei que é mentira. Você é uma pessoa horrível o tempo todo.
Tudo que eu mais queria era que você parasse de achar que tem algum poder sobre mim, você não tem. Não entendo suas conversas bobinhas e suas demonstrações de algum tipo de carinho esquisito que eu insisto em romantizar. Não posso mais romantizar seu comportamento ridículo, quase abusivo.    Eu não sou sua propriedade, querido. Não importa se você está disposto a cruzar os sete mares para me ver. Eu não quero alguém que saía de longe para me ver quando está afim, eu quero alguém que esteja sempre ao meu lado até mesmo quando eu não merecer.

Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário