Ontem a noite, um pouco antes de dormir, percebi que seria a última vez em que eu pegaria no sono em 2016 e isso me abalou um pouco. Não sei ao certo porque, de onde esse sentimento veio, mas usando uma gíria bastante atual, eu diria que a bad bateu. 

Eu deitei com a cabeça pesada no travesseiro pensando que em tudo o que fiz, deixei de fazer. No que eu disse demais e disse de menos. Sabe quando você vai dormir bastante reflexivo? Então.
Durante a noite tive bastante sonhos esquisitos, daquele tipo que te tira a paz. Sonhei que alguns medos vinham me assombrar e embora racionalmente eu saiba que nenhum daqueles medos tem o mínimo de fundamento, meu irracional continua com medo. Acordei assustada e bastante frustrada comigo mesmo por ainda ter esses medos. Ao longo do dia eu não parava de pensar que se ao logo de 2016 eu evolui tanto, mudei tanto que como eu ainda poderia ter esses medos que me acompanham desde tão nova? Eu já não havia superado-os? Bem, eu pensava que sim, mas meu subconsciente mostrou que não. Mostrou que lá no fundo uma parte de mim ainda teme a solidão. Contudo, temer a solidão é algo ruim? É um demérito tão grande como eu estava pensando? Solidão é diferente de aproveitar a própria companhia e distinguir os dois foi um passo incrível que dei em 2016, além de ser corajosa e enfrentar mais os obstáculos da vida adulta que surgem a todos os minutos. No entanto ser corajosa não é não ter medo e sim saber lidar com ele e em 2016 eu aprendi a lidar com os meus medos. E enquanto eu pensava melhor sobre isso, eu percebi que esse poderia ser meu maior desejo para o próximo ano: lidar com os meus medos pois enquanto eu viver novos medos surgirão e eu precisarei lidar com eles da melhor forma possível. E esse é meu desejo para todos vocês, que lidem com seus medos da melhor maneira possível.

Nos vemos em 2017 <3 
Beijos 
S.S Sarfati

Deixe um comentário