resenha 5º temporada house of cards

Em Dezembro de 2016 eu assisti a 4º temporada de House Of Cards e disse estar super animada para a 5º temporada, será que ela atingiu as minhas expectativas?Com muita dor no coração digo que esta temporada foi a mais fraca até agora. Em termos de roteiro digo que ela foi alongada demais para dar o 13 episódios de cada temporada e por isso o ritmo dos episódios variava muito, poderiam ter condensado em oito ou dez episódios de alta qualidade aos invés de 13 episódios medianos. Além disso, em termos de história foi bastante maçante. O texto abaixo tem spoilers, leia por sua conta e risco.
Estamos acostumados a todas as artimanhas do Frank Underwood para não apenas conquistar o poder, mas como se manter nele e foi isso que pode ser visto na primeira metade da temporada quando ele dá um golpe que praticamente anula as eleições presidenciais (oi Temer, sumido) e ele faz de tudo para o seu oponente republicano, o governador do estado de Nova York, Will Conway ir ao seu limite no desgaste que é o jogo político além de obriga-lo viver seus traumas da guerra. Até essa parte a temporada foi sensacional e acredito que devesse ter terminado aí a 5º temporada, só que não foi isso que aconteceu. 
Uma vez "eleito" o casal Underwood tem dificuldades em se manter no poder uma vez que há uma espécie de "lava jato americana" fechando o cerco para eles e a equipe investigativa do jornal Washington Herald liderada pelo Tom Hammerschmidt também está caindo em cima nas críticas ao governo. Lembra que no final da 4º temporada o Hammerschmidt estava fazendo uma matéria que revelava todas as armações de Frank e que prometia ser o novo caso de Watergate? Bem, a matéria não teve tanta repercussão assim - o que me deixou bastante desapontada embora eu tenha adorado ver o destaque que a mídia teve nessa temporada, algo que não era mostrado desde a morte da Zoe Barnes no início da 2º temporada. Gostei bastante da maneira que a série traçou um paralelo entre as personalidade de Underwood e Hammershimidt que, apesar de serem "arque-inimigos" são bastante parecidos. Me irritou como o núcleo jornalístico da série começou a todo vapor no início da temporada e foi diminuindo o ritmo conforme o tempo foi passando. Espero que haja uma explicação para isso na próxima temporada. 
Claire que não mais vive a sombra do marido, agora é a vice presidente e a primeira dama dos Estados Unidos - além de ter um guarda roupa magnifico digno da sua personalidade. Foi legal como desenrolou o caso dela com o escritor Tom Yates, muito parecido com Frank e Zoe só que com um pouco menos de interesse e um pouco mais de amor, e como se deu a morte dele - mostrando que não é apenas um dos Underwood que é capaz de eliminar qualquer um que esteja atrapalhando seu caminho. Aliás, o aumento do destaque dos papéis femininos nesta temporada é um ponto muito positivo - ainda mais considerando que a política é um dos ambientes mais machistas que existem.
O que realmente me deu nos nervos no final da temporada foi o Frank renunciando a presidência, ele não é o tipo de cara que acredita nos dizeres "não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu" porque para ele é exatamente sobre isso.  Os telespectadores são prova de tudo o que ele fez, tramou, ameaçou e quem ele matou para chegar lá e após uma conversa furada com uma assessora da Claire ele desiste de tudo isso para poder "dominar o mundo" na indústria privada enquanto ela estivesse no governo - ainda que ele estivesse podendo ter seu mandato cassado em uma sucessão de eventos muito parecidos com o que vimos no Brasil em 2016. 
O mais irritante foi vê-la tramando contra ele. Nas últimas cenas da temporada ela deixa bem claro que agora quem dá as cartas é ela, como se ela esquecesse quem colocou ela lá. E nós sabemos que na política lealdade conta mais que tudo. Frank desistiu muito fácil de tudo isso e a Claire se deixou afetar  pelo poder muito rápido. O que me deixou um pouco mais aliviada é que o Frank percebeu a ingratidão por parte da esposa e deixou bem claro que se ela não fizesse o que ele queria, ela terminaria morta, então eu realmente espero que a próxima temporada haja uma guerra entre os Underwoods e que ela termine morta - nós sabemos que mais sangue na mão de Frank não é o que vai impedi-lo de ter uma boa noite de sono. Ele é o protagonista psicopata louco pelo poder e é assim que deve continuar sendo, acho altamente improvável que ele de fato desista do poder, supere a traição política da esposa e, principalmente, ser tapeado. Não é mesmo, Francis? 


Além disso, a performance do Kevin Spacey está fantástica. Ele, literalmente, monopoliza a cena em diversos momentos. É uma das grandes apostas para o Emmy 2017. Quanto a série acho que ela não leva nada este ano e também acho que o seu fim está próximo.

E você, já assistiu a nova temporada? O que achou? Me conta :)
Beijos
S.S Sarfati

Deixe um comentário